domingo, 19 de dezembro de 2010

QUANDO O VILÃO TAMBÉM SANGRA


Entre crises de choro e de consciência, uma angustiada rotina. Uma sensação de vazio. Mais do que a abstinência - o que mais lhe doía a alma era ausência.
Ausência de quem é do bem. De quem sempre lhe fora companhia, ainda que à distância. De quem só tem pureza no coração e que lhe ensinava diariamente a ser uma pessoa melhor.
Ruptura. A palavra por si já causa estrago. Mas ela se faz agora necessária.
Ele se vale de qualquer artifício para poder consertar, voltar atrás. Faria qualquer coisa, muito mais do que se imagina, se isso representasse um novo começo, um renascimento. "Chorar pelo leite derramado não adianta", dizem e prosseguem: "Porque não assumir as conseqüências de seus atos e tirar um belo aprendizado disso tudo? Fazer as pessoas sangrarem e sair intacto, isso não é justiça, logo a justiça que você sempre clamou".
Ele não consegue responder. Só se encolhe na posição fetal. "Tão bom quando eu era criança. A vida de adulto é cheia de regras pra seguir, e se você não evoluir, vai acabar cada vez mais tendo essas atitudes infantis quando não são mais cabíveis".
Maldade não. Desorientado e despreparado sim. Da pior forma possível. Ele não conseguiu sair da bolha que sempre se revestiu pra deixar as benesses da vida de adulto adentrarem. Ele acreditou que poderia continuar fazendo parte dessa bolha paralelamente à sua vida que estaria tudo bem.
Caiu do cavalo. E feio. E não havia o preparo suficiente pra correr atrás do prejuízo. Resultado: está sem norte.
Sem rumo. Com a vida comprometida com sua falta de crescimento.
Muito tempo perdido na bolha. Muitos anos desperdiçados sem qualquer coerência ou explicação.
Um fraco. Um derrotado. Um ser sempre intranquilo e indigno de qualquer admiração.
Um ser na lama, no fundo do túnel, afundando cada vez mais...
Mas ainda assim, um ser que ama.
O amor é como uma vida. Quando despedaçada, as feridas cobrem todo o corpo e causam sensações terríveis. Aquela típica dor que você pensa que será permanente. Mas o ser humano tem uma capacidade incrível de se regenerar. Mais do que isso, ele consegue a proeza de ressurgir ávido por recuperação e pronto pra continuar rumando.
Junto ou separado? Não se sabe...
O que se sabe, contudo, é que o ser, por ter plena consciência de tudo isso, por aceitar seu destino e seu vazio, sua situação periclitante atual, já se torna digno do tão esperado "segundo olhar" que as pessoas podem ofertar. A despeito de todo alarde comercial envolvido, o Natal é sim, na sua essência, um período de milagres. Milagres no coração.
O famigerado ser que está na lama acredita piamente nisso. Mais ainda: ele confia nesse fiapo de esperança pra se salvar. Ele tá na lanterna dos afogados, sem saber onde ir, mas sinalizando que precisa ser salvo. Salvo da bolha. Salvo como todo ser humano de potencial não óbvio merece ser. Salvo como todos aqueles que não no último lugar do podium precisam pra progredir.
Salvo porque ainda ama. Ainda quer e vai conseguir...
Há a possibilidade dele não conseguir mais ser inteiramente feliz. Não está em depressão. Só é custoso acordar. Ele abre os olhos, senta na cama, reza, chora, respira e se levanta.
Parece que é algum tipo de defesa do corpo dele pra não enlouquecer de dor. O dia segue com pequenas "armadilhas": um livro que foi presente de aniversário de um lado, o DVD de uma série que acompanharam juntos de outro. Toca então as lembranças, essas sim as mais doídas de todas. Apertam mais porque sabe que tudo isso foi fruto de sua fraqueza. Sim, a culpa foi sua. A culpa confessa faz com que todo seu dia prossiga aéreo, reflexivo. É tão difícil tomar decisões como o que comer, por exemplo. Ele tentara estudar, ver televisão, não fazer nada. Tudo o remetia ao acontecido. E a culpa acompanhando pra onde quer que fosse. A culpa produz a vergonha e, consequentemente, a vontade de desistir de tudo. De ir até a circunstâncias extremas - nesse ponto começa a entender as pessoas que cometem loucuras como suicídio, por conta do amor.
Ele está sangrando. Não quer se comparar com a outra dor, mas também está. A pulsão de vida pode nunca mais ser como a de antes, ele tem a certeza de que, como uma pessoa amputada, vai ter que conviver com a dor pra sempre se não houver o recomeço.
Clama, então, por ele...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

PARCEIRA XVIII - Kate Bush



A parceira da vez é a cuja atividade é a mais antiga dentre as minhas!
Kate Bush veio da Inglaterra e começou sua carreira na década de 70 com muita dificuldade, só explodindo em 1978 com a clássica "Wuthering Heighs" (Morro dos ventos uivantes, inspirada no livro da escritora Emily Bronte). Foi justamente com essa canção que a conheci - e por ironia da vida de TH, sua música mais famosa é a minha preferida (logo eu que sou eternamente fã de sucessos menos estrondantes...).
Não, ela não é uma "one hit wonder". Ela teve alguns clássicos lançados na década de 80, dentre eles o megahit Babhooshka, cujo clipe me remete a uma "She-Ra morena"!
Porém, nunca fui profundo conhecedor da carreira de Kate. Para mim ela era uma cantora bacana, totalmente performática e olhuda (a maneira com a qual arregala os olhos nos videoclipes é hilária). Faltava o empurrãozinho final pra que a moça se tornasse uma "parceira com louvor" de TH e este veio, quando comprei um show dela em DVD no ano passado.
Pronto: tacou logo em seguida querer conhecer seus discos, sua biografia e houve uma sintonia instantânea!
O bacana é perceber que a moça, apesar de estar no ostracismo, lança discos contemporâneos até agora (quer dizer, o último foi na década de 2000. Mas só em saber que não teve destino trágico ou carreira abreviada por morte já fico satisfeito!:)





And if I only could,
I'd make a deal with God,
And I'd get him to swap our places,
Be running up that road,
Be running up that hill,
Be running up that building.
If I only could, oh...

You don't want to hurt me,
But see how deep the bullet lies.
Unaware I'm tearing you asunder.
Ooh, there is thunder in our hearts.


1987 - KATE BUSH - Running Up That Hill


TH - Fechamento de mês!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

TH NEWS FLASHES XXXI - Às boas com as frustrações!


Esquecer um aniversário pra mim é um crime de proporções dantescas!
Nasci assim. Sempre foi assim comigo. Ainda mais depois de contagens regressivas, cogitações, planejamentos...
E quando acontece o oposto, eu fico revoltado. Triste. Machucado, chateado e tudo o mais.
Ao fazer isso, muitas vezes, surgem sentimentos de decepção, de desânimo e até mesmo de frustração ao percebermos que, das coisas que planejamos, nem tudo conseguimos atingir.
Isso se estende também ao fazermos metas, planos para o ano que se inicia e, na maioria das vezes, conseguimos pouquíssimo. Volta e meia ficamos nos perguntando se devemos mesmo traçar metas e planos para o próximo ano.
E a culpa é de quem? Minha mesmo.
Não é de hoje que eu vivo insistindo pra mim mesmo que eu não posso esperar que o mundo me dê as respostas desejadas pois nada acontece assim. Mas minha natureza é teimosa: ela cria expectativa, secretamente fica desejando com todas as suas forças que as coisas cheguem do jeito que esperamos. Piscianos são assim - não vou lamentar meu modo de ser pois nasci com isso e por mais que lute pra mudar, não vou conseguir.
Mimo? Futilidade? Acho que o caminho é bem mais árduo que isso aí. Seria o mesmo que pedir pruma pessoa de gênio forte que se contenha e ache tudo lindo quando contrariada. Quando se lida com natureza humana, meus caros, o buraco é bem mais embaixo.
Se mudar não é possível, há outras alternativas pro bom convívio? Creio que sim. Contrariando toda torcida opositora, nós somos bem mais flexíveis e abertos ao amadurecimento e aprendemos sim com nossos erros. Mais que isso: conseguimos nos situar em meio às nossas frustrações e atribui-las um peso bem menor em prol da evolução como ser humano.
Entendo hoje, mais do que tudo, que temos uma capacidade inacreditável de superar nossas expectativas frustradas. Nunca vamos conseguir alguém que atenda nossos apelos mínimos 100%, as pessoas são diferentes e têm entre si interesses distintos. Temos que conviver com isso. Há pontos cruciais, claro, mas até neles precisamos manter o equilbrio e não deixar as emoções interceptarem na lógica sem graça da razão...
Saldo de tudo isso: machucado curado, cabeça erguida, abertura ao diálogo e reação amena quando a contrariedade vier. Decisão de continuar também traçando planos e criando expectativas pois é necessário que tenhamos uma direção a seguir - na vida amorosa, profissional e todas mais, mas nossas metas e planos não podem ser rígidos: precisam ter flexibilidade, pois dificilmente as coisas acontecem no momento exato da nossa vontade, do jeito exato que planejamos; por isso, temos que estar sempre prontos para revê-los e refazê-los.
O último tópico do saldo: obter, consequentemente, a maturidade tão almejada...

Quem tiver interesse nos avanços obtidos, que fique e confira!


TH - ;)

domingo, 28 de novembro de 2010

POR QUE NÃO REGISTRAR?



se e´ la vita che dai
a chi ti chiede aiuto
se il pensiero che hai
e´ gia´ concreto in me
la preghiera che fai
è il credo che ho cercato
un sapore che ormai io non baciavo piu´

e mi abbandono a te
la mia pace e´ stabile
ed abbandono tutti i miei se

you´ll always be a part of me
resta qui
nel vento che ha soffiato
you´ll always be inside of me
resta qui per un po´?

se il rispetto che dai
è darti senza fiato
se la scelta che fai
è una carezza in piu´
se è nel tempo che hai
il tuo vero alleato
un sentiero che ormai
io non passavo piu´

io mi abbandono a te
a una pace affabile
ed abbandono tutti i miei se

you´ll aways be a part of me
resta qui
nel posto che hai trovato
you´ll always be inside of me
resta qui per un po´?

e mi abbandono a te
a una pace immobile
poi ti abbandoni su di me

you´ll always be a part of me
resto qui
nel vento che hai portato
you´ll always be inside of me
resta qui per un po´

you´ll always be a part of me
resto qui
nel posto che ho cercato
you´ll always be inside of me
resto qui per un po´
resta qui per un po´

...you´ll always be a part of me...

2004 - LAURA PAUSINI - Mi Abbandono a Te


TH - 2 anos! *.* :´

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

CLIPO TH ECA BÁSICA XVI - Os clipes que me 'iludiram"





Eu tenho um carinho imenso por esse clip de Alanis. Um dos meus preferidos dela.
Tão pisciano. Tão "sonhador", idealizando a figura do ser amado. E essa capacidade de se estar num lugar e de se teletransportar pra onde a imaginação, sem limite algum, determina, também é muito minha.
Não é a toa que enxergo Alanis como uma irmã mais velha. Mais centrada, que consegue verbalizar bem tudo aquilo que eu não consigo, muitas vezes, expessar.
A letra também é bem casada com o vídeo...
Alanis, que sua gravidez lhe dê energia pra fazer grandiosidades novamente como essa!


Você me salvará, certo?
Do exato modo que eles nunca me salvaram...?
Eu serei feliz, certo?
Quando sua capacidade de cura chegar até mim...
Você irá realmente me completar?
Então minha vida pode finalmente começar
Eu só serei merecedora
Apenas quando você perceber a jóia que eu sou?

Mas isso não irá funcionar agora do mesmo jeito que já aconteceu
E eu não vou continuar com isso mesmo que eu te ame
Uma vez que eu saiba quem eu não sou, então eu saberei quem sou
Mas eu sei que eu não ficarei bancando a vítima

Essas preciosas ilusões em minha mente
Não me decepcionaram quando eu era indefesa
E renunciar à elas é como renunciar aos melhores amigos invisíveis...


2002 - ALANIS MORISSETTE - "Precious Illusions"


TH - Recorrendo aos tais amigos!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

VAMOS DANÇAR?!?!





TH - O melhor dos bons dias!!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

CALEM A BOCA, NORDESTINOS!



Por José Barbosa Junior

A eleição de Dilma Rousseff trouxe à tona, entre muitas outras coisas, o que há de pior no Brasil em relação aos preconceitos. Sejam eles religiosos, partidários, regionais, foram lançados à luz de maneira violenta, sádica e contraditória.
Já escrevi sobre os preconceitos religiosos em outros textos e a cada dia me envergonho mais do povo que se diz evangélico (do qual faço parte) e dos pilantras profissionais de púlpito, como Silas Malafaia, Renê Terra Nova e outros, que se venderam de forma absurda aos seus candidatos. E que fique bem claro: não os cito por terem apoiado o Serra… outros pastores se venderam vergonhosamente para apoiarem a candidata petista. A luta pelo poder ainda é a maior no meio do baixo-evangelicismo brasileiro.
Mas o que me motivou a escrever este texto foi a celeuma causada na internet, que extrapolou a rede mundial de computadores, pelas declarações da paulista, estudante de Direito, Mayara Petruso, alavancada por uma declaração no Twitter: “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP, mate um nordestino afogado!”.
Infelizmente, Mayara não foi a única. Vários outros “brasileiros” também passaram a agredir os nordestinos, revoltados com o resultado final das eleições, que elegeu a primeira mulher presidentE ou presidentA (sim, fui corrigido por muitos e convencido pelos “amigos” Houaiss e Aurélio) do nosso país.
E fiquei a pensar nas verdades ditas por estes jovens, tão emocionados em suas declarações contra os nordestinos. Eles têm razão!
Os nordestinos devem ficar quietos! Cale a boca, povo do Nordeste!
Que coisas boas vocês têm pra oferecer ao resto do país?
Ou vocês pensam que são os bons só porque deram à literatura brasileira nomes como o do alagoano Graciliano Ramos, dos paraibanos José Lins do Rego e Ariano Suassuna, dos pernambucanos João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, ou então dos cearenses José de Alencar e a maravilhosa Rachel de Queiroz?
Só porque o Maranhão nos deu Gonçalves Dias, Aluisio Azevedo, Arthur Azevedo, Ferreira Gullar, José Louzeiro e Josué Montello, e o Ceará nos presenteou com José de Alencar e Patativa do Assaré e a Bahia em seus encantos nos deu como herança Jorge Amado, vocês pensam que podem tudo?
Isso sem falar no humor brasileiro, de quem sugamos de vocês os talentos do genial Chico Anysio, do eterno trapalhão Renato Aragão, de Tom Cavalcante e até mesmo do palhaço Tiririca, que foi eleito o deputado federal mais votado pelos… pasmem… PAULISTAS!!!
E já que está na moda o cinema brasileiro, ainda poderia falar de atores como os cearenses José Wilker, Luiza Tomé, Milton Moraes e Emiliano Queiróz, o inesquecível Dirceu Borboleta, ou ainda do paraibano José Dumont ou de Marco Nanini, pernambucano.
Ah! E ainda os baianos Lázaro Ramos e Wagner Moura, que será eternizado pelo “carioca”
Capitão Nascimento, de Tropa de Elite, 1 e 2.
Música? Não, vocês nordestinos não poderiam ter coisa boa a nos oferecer, povo analfabeto e sem cultura…
Ou pensam que teremos que aceitar vocês por causa da aterradora simplicidade e majestade de Luiz Gonzaga, o rei do baião? Ou das lindas canções de Nando Cordel e dos seus conterrâneos pernambucanos Alceu Valença, Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Lenine? Isso sem falar nos paraibanos Zé e Elba Ramalho e do cearense Fagner…
E Não poderia deixar de lembrar também da genial família Caymmi e suas melodias doces e baianas a embalar dias e noites repletas de poesia…
Ah! Nordestinos…
Além de tudo isso, vocês ainda resistiram à escravatura? E foi daí que nasceu o mais famoso quilombo, símbolo da resistência dos negros á força opressora do branco que sabe o que é melhor para o nosso país? Por que vocês foram nos dar Zumbi dos Palmares? Só para marcar mais um ponto na sofrida e linda história do seu povo?
Um conselho, pobres nordestinos. Vocês deveriam aprender conosco, povo civilizado do sul e sudeste do Brasil. Nós, sim, temos coisas boas a lhes ensinar.
Porque não aprendem conosco os batidões do funk carioca? Deveriam aprender e ver as suas meninas dançarem até o chão, sendo carinhosamente chamadas de “cachorras”. Além disso, deveriam aprender também muito da poesia estética e musical de Tati Quebra-Barraco, Latino e Kelly Key. Sim, porque melhor que a asa branca bater asas e voar, é ter festa no apê e rolar bundalelê!
Por que não aprendem do pagode gostoso de Netinho de Paula? E ainda poderiam levar suas meninas para “um dia de princesa” (se não apanharem no caminho)! Ou então o rock melódico e poético de Supla! Vocês adorariam!!!
Mas se não quiserem, podemos pedir ao pessoal aqui do lado, do Mato Grosso do Sul, que lhes exporte o sertanejo universitário… coisa da melhor qualidade!
Ah! E sem falar numa coisa que vocês tem que aprender conosco, povo civilizado, branco e intelectualizado: explorar bem o trabalho infantil! Vocês não sabem, mas na verdade não está em jogo se é ou não trabalho infantil (isso pouco vale pra justiça), o que importa mesmo é o QUANTO esse trabalho infantil vai render. Ou vocês não perceberam ainda que suas crianças não podem trabalhar nas plantações, nas roças, etc. porque isso as afasta da escola e é um trabalho horroroso e sujo, mas na verdade, é porque ganha pouco. Bom mesmo é a menina deixar de estudar pra ser modelo e sustentar os pais, ou ser atriz mirim ou cantora e ter a sua vida totalmente modificada, mesmo que não tenha estrutura psicológica pra isso… mas o que importa mesmo é que vão encher o bolso e nunca precisarão de Bolsa-família, daí, é fácil criticar quem precisa!
Minha mensagem então é essa: – Calem a boca, nordestinos!
Calem a boca
, porque vocês não precisam se rebaixar e tentar responder a tantos absurdos de gente que não entende o que é, mesmo sendo abandonado por tantos anos pelo próprio país, vocês tirarem tanta beleza e poesia das mãos calejadas e das peles ressecadas de sol a sol.
Calem a boca, e deixem quem não tem nada pra dizer jogar suas palavras ao vento. Não deixem que isso os tire de sua posição majestosa na construção desse povo maravilhoso, de tantas cores, sotaques, religiões e gentes.
Calem a boca, porque a história desse país responderá por si mesma a importância e a contribuição que vocês nos legaram, seja na literatura, na música, nas artes cênicas ou em quaisquer situações em que a força do seu povo falou mais alto e fez valer a máxima do escritor: “O sertanejo é, antes de tudo, um forte!”

Que o Deus de todos os povos, raças, tribos e nações, os abençoe, queridos irmãos nordestinos!



TH - P-E-R-F-E-I-T-O

terça-feira, 2 de novembro de 2010

ALI TH ERAÇÕES XXIV



Sentir é compreender. Pensar é errar. Compreender o que outra pessoa pensa é discordar dela. Compreender o que outra pessoa sente é ser ela. Ser outra pessoa é de uma grande utilidade metafísica. Deus é toda a gente.
Afirmar é enganar-se na porta.
Pensar é limitar. Raciocinar é excluir. Há muito que é bom pensar, porque há muito que é bom limitar e excluir.
Substitui-te sempre a ti próprio. Tu não és bastante para ti. Sê sempre imprevenido [?] por ti próprio. Acontece-te perante ti próprio. Que as tuas sensações sejam meros acasos, aventuras que te acontecem. Deves ser um universo sem leis para poderes ser superior.
Faze de tua alma uma metafísica, uma ética e uma estética. Substitui-te a Deus indecorosamente. É a única atitude realmente religiosa (Deus está em toda a parte excepto em si próprio).
Faze do teu ser uma religião ateísta; das tuas sensações um rito e um culto...



FERNANDO PESSOA



TH - Super afim de renovações!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

PARCEIRA XVII - Nina Persson


Os suecos, a despeito do clima da terra natal, são músicos quentes! Abba, Ace Of Base, Roxette...e elenco ainda essa garota que não tinha nada a ver com o mundo musical, mas foi chamada pela banda "Cardigans" para fazer um teste e simplesmente ficou! Adoro esses talentos vindos do nada...
Nina Persson é uma "roqueira carinhosa". Ela não nega desferir palavrões durante seus shows, mas sua voz meiguinha faz com que sua feminilidade e doçura permaneçam intactas. Seria uma Fernanda Takai das terras gélidas!
Conheci a moça com o mega hit Lovefool e literalmente enlouqueci de amores. Mas os dois primeiros e ofuscados álbuns da banda também são muito bons! O meu predileto, contudo, é o Gran Turismo, lançado no fim de 1998.
Após um hiato de vários anos, vim "reouvir' novos trabalhos dos Cardigans apenas ano passado, graças à trilha de Grey's Anatomy e, pesquisando vídeos da banda, notei uma Nina mais mulher, visceral e amadurecida. Acho que bons músicos podem mudar sim - sendo sinceros aos sentimentos contidos em cada fase de suas vida.
Um detalhe adicional: ela moreninha fica linda, mas não tem jeito: Nina pra mim tem que ser loira!! rsss
Abaixo, um vídeo da moça ao lado do vovô do pop, Tom Jones!




2000 - TOM JONES feat. NINA PERSSON - Burning Down The House


Agora sim, um trabalho dela na banda que a consagrou!




Eu fui sua mãe, eu fui seu pai
Quem pode querer mais?
Eu fui sua irmã, eu fui sua companhia
Talvez eu tenha sido sua vagabunda
Quem pode querer mais?


1997 - THE CARDIGANS - Been It


TH - Adoro as "mignons viscerais"

domingo, 24 de outubro de 2010

TH NEWS FLASHES XXX - A super carga positiva!


2010 está chegando ao fim e já chega aquela hora tão melancólica de fazermos o balanço do ano, o inventário das coisas que deram certo ou não; se as espectivas e alta confiança que tínhamos láááá em Janeiro lougraram êxito...
É nesse hora que, comumente, começamos a nos entristecer e ver que foi mais um ano apenas, que não teve tantas surpresas ou até tivemos momentos ruins.
Só que é agora que, ao invés de desperdiçarmos nosso tempo lamuriando ou melindrando, devemos tirar da manga um trunfo que anda em baixa, mas que é extremamente necessário e vital às nossas vidas: a positividade!
Poliana não estava errada. Rhonda Byrne idem. Ambas - cada uma, à sua maneira, nos deram lições tremendas. Acreditar, respectivamente, num mundo bondoso e na força do pensamento positivo jamais deve ser taxado de besteira ou perda de tempo.
A regência do meu "ser" sempre adora se contradizer, de tempos em tempos. Eu, outrora, fui um garoto melancólico, triste, desesperançoso e que adorava levar dias pra me levantar dos baques. Meu ritmo era demorado demais. Mas, antes disso, por mais absurdo que possa parecer, eu quero enxergar algum sentido nas coisas. Algum pra não ter conseguido ainda o que busco, motivo pra ainda permanecer aqui e não ter dado o passo adiante...e consigo as respostas! Demoram, mas chegam!
E ter paciência por elas é o que me deixa vivo. Pois eu descobri, com as maiores alegrias possíveis, que o pensamento positivo realmente opera milagres. Não há vergonha alguma em chorar no meu tempo, xingar, mandar tudo pra puta-que-pariu e ter todo o direito à revolta e desarmonia interna. Mas permanecer "na merda" é uma opção que cada vez menos quero dedicar preciosos dias de minha saga.
O jogo do contente, meus caros, é muito mais saudável e verdadeiro. Nossas energias merecem ser revitalizadas, e por mais que os dias, semanas e até meses digam o contrário, vamos permanecer com a mente aberta pros melhores pensamentos possíveis. Vamos ligar nossos "ímãs do bem" que loguinho eles só atrairão benesses!
Não vamos deixar nunca de acreditar no poder dos sonhos e do amor. Isso não é conselho-chavão-caricato, e sim, um mandamento interno e muito sério! Seguindo com ele, vamos mentalizar, com todo vigor possível: acredito: em mim, no nosso Deus e na lei do retorno!
Infelizmente, nem todos tem a paciência requerida, calma necessária ou a capacidade elementar de domar a ansiedade diante da falta de resultados ou incerteza do tempo de usufruí-los. Eu espero, do fundo do meu coração, que os descrentes consigam, assim como desejo também jamais voltar a ser o garotinho desacreditado de outrora. Não dá tempo pra retroceder. Não mais...
Sigamos, pois!


TH - +++++++++++++++++++++

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ALI TH ERAÇÕES XXIII


"Não te espantes quando o mundo amanhecer irreconhecível. Para melhor ou pior, isso acontece muitas vezes por ano. "Quem sou eu no mundo?" Essa indagação perplexa é o lugar-comum de cada história de gente. Quantas vezes mais decifrares essa charada, tão entranhada em ti mesma como os teus ossos, mais forte ficarás. Não importa qual seja a resposta; o importante é dar ou inventar uma resposta. Ainda que seja mentira."


PAULO MENDES CAMPOS



TH - Reflections...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS!



Que todos preservem o lindo espírito infantil por tempos e tempos.
Sem muita criatividade para atualizar esse cantinho. Crise. Então ficam os votos mais puros e simples possíveis.
Mas se querem ter leitura boa, não deixem de ir no EnTHulho Musical, onde versei 20 clássicos de nossa MPB destinados aos pequenos. Imperdível!


TH - Toda criança tem uma estrela dentro do coração!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS XXX


TH - Vencendo cada dia mais o inimigo (myself)!

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CLIPO TH ECA BÁSICA XV - Os clipes que me infantilizaram!

E eis que, com a proximidade do dia das crianças, me deparo com uma das mais belas propostas POP desse ano. Quisera termos mais projetos despretensiosos como esse. Além da música ser ótima, o clipe é tããããão anos 80, com todos os toques da música bem sincronizados com as imagens e muitos, muitos BRINQUEDOS!

Dica pro "Alfarrábio do Meu Coração", inclusive! ;)



You would not believe your eyes
If ten-million fireflies
Lit up the world
As I fell asleep

Cause they fill the open air
And leave teardrops everywhere
You'd think me rude
But I would just stand and stare

I'd like to make myself believe
That planet earth turns slowly
It's hard to say that I'd rather stay awake when I'm asleep
Cause everything is never as it seems

Cause I'd get a thousand hugs
From ten-thousand lightning bugs
As they try to teach me how to dance

A fox trot above my head
A sock hop beneath my bed
A disco ball is just hanging by a thread

I'd like to make myself believe
That planet earth turns slowly
It's hard to say that I'd rather stay awake when I'm asleep
Cause everything is never as it seems
(When I fall asleep)

Leave my door open just a crack
(Please take me away from here)
Cause I feel like such an insomniac
(Please take me away from here)
Why do I tire of counting sheep
(Please take me away from here)
When I'm far too tired to fall asleep

To ten-million fireflies
I'm weird cause I hate goodbyes
I got misty eyes
As they said farewell
(Farewell)
But I'll know where several are
If my dreams get real bizarre
Cause I'd save a few
And I'd keep them in a jar

I'd like to make myself believe
That planet earth turns slowly
It's hard to say that I'd rather stay awake when I'm asleep
Cause everything is never as it seems
(When I fall asleep)

I'd like to make myself believe
That planet earth turns slowly
It's hard to say that I'd rather stay awake when I'm asleep
Cause everything is never as it seems
(When I fall asleep)

I'd like to make myself believe
That planet earth turns slowly
It's hard to say that I'd rather stay awake when I'm asleep
Because my dreams are bursting at the seems


2010 - OWL CITY - Fireflies


TH - *.*

terça-feira, 5 de outubro de 2010

HA HA HA HA HA HA HA HA !!!!!!








Só em relação ao primeiro meu riso não é irônico - orgulho dos meus alagoanos!!


TH - ...pra não chorar!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

BRIGA INTERNA


- E aí, vai deixar barato? Thomaz pergunta.
Silencia.
Silêncio, contudo, não de falta de respostas. Mas de uma reunião interna de urgência. Nada de retroceder. Apenas um "estudar melhor' os próximos passos/capítulos.


TH - Silent all these years

sábado, 25 de setembro de 2010

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

MÚSICA - MEMÓRIA AFETIVA XI




Simplesmente enlouqueci quando ouvi pela primeira vez, em 1999...
Reouvi-la ontem, ao acaso, foi um orgasmo. Daquelas músicas que mexem com todos os nossos sentidos. Letra e melodia PERFEITAS!
Cruel Intentions é talvez o filme com a melhor trilha sonora, pra mim.


This Love...
This love is a strange love
A faded kind of
Day love
This love

This Love
I think I'm going to fall again
And even when you held my hand
It didn't mean a thing
This Love

1999 - CRAIG ARMSTRONG feat. ELIZABETH FRASER - This Love


TH - Momento intimista ON

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

TH NEWS FLASHES XXIX - Brasil de pernas pro ar!


Esse mês, na minha já conhecida coluninha mensal, ao invés de falar de algo que me apetece, resolvi versar sobre a caótica situação política do país. Aliás, não posso me excluir disso como cidadão - falar da atual conjuntura do Brasil é falar de mim, também! E há duas semanas das eleições, se faz mais oportuno ainda!
Unindo ao tema, falo da minha profissão platônica de paixão: o Jornalismo, que, apesar de suas mazelas, também constitui um bem enorme ao país quando se predispõe a fazê-lo. Sobretudo na política. Recentemente os escândalos de Erenice Guerra (da Casa Civil) e também a quebra do sigilo fiscal da filha e do genro de José Serra acabariam passando despercebidos do grande público se não fosse a imprensa. Claro que judiciário tomaria conta - como advogado, eu jamais poderia discordar ou descrer da força da justiça e da polícia, no entanto como a mesma deve ser transparente, sem o papel da imprensa nos casos, a sociedade jamais tomaria conhecimento do quão delicada e séria é a questão. Por isso que eu reafirmo: esse jornalismo é do bem!
A reação dos envolvidos nos escândalos é típica: dizem-se vítimas e uma "conspiração", e que os mensageiros (no caso, a imprensa) é que são os verdadeiros culpados, estampando "factóides" caluniosos e assegurando sua impunidade. No caso da Erenice, depois de se auto proclamar inocente, viu-se obrigada a pedir demissão do cargo de ministrachefe da Casa Civil e a queda foi inevitável. A revista Veja - que todos consideram tendenciosa e incriminadora, na realidade, faz um trabalho muito sério como principal e mais antigo veículo de informação desse país, um trabalho com o qual possui comprometimento de levar aos leitores o que de fato acontece no país e já o fez por muitos anos. Notório constatar que foi ela quem "desnudou" as "vítimas" em questão, tornando-se maldita na boca dos mesmos...
No meio disso tudo, volta-se uma grande questão: o PT ameaça ferrenhamente limar a liberdade de expressão tão arduamente alcançada mediante tantas lutas. Acusa-se de que a liberdade fora estendida demais, atingindo níveis exagerados de informações. Isto sim é que é um absurdo sem tamanho: após anos lutando contra a censura, nos depararmos com a iminência de sua volta para atender objetivos obscuros e pessoais dos políticos. O povo tem direito a informação verdadeira, e não omitida. Aliás, omitir, por si só, é uma forma de mentira - ou melhor, de velar uma verdade que não pode ser escondida. Logo, a sociedade tem direito de saber que a lei será cumprida, que o judiciário e a polícia tomarão conta do caso e, porque não, de saber mais de cada candidato pra poder confiar seus votos. É o público quem os coloca no poder - e ele deve estar cada vez mais bem informado!
Por fim, o grande castigo das "vítimas" da imprensa especializada, com fé, é a desmoralização pública e falta de credibilidade. Quer dizer, nem sempre é assim. Tá aí Fernando Collor quase liderando as pesquisas pra Governador de Alagoas. O povo infelizmente tem memória curta...mas ainda assim, tem direito a informação completa. Não cabe desconhecimento dos fatos sob hipótese alguma. Há de ter alguma reforma política e que a imprensa seja assegurada cada vez mais pra levar informações preciosas aos cidadãos.
Crer nisso não é nenhuma demagogia...


TH - Revoltadíssimo!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

INSIDE OUT




Dentro dos seus grandes olhos lagos
Dentro dos seus grandes lábios logo
Dentro do seu grande peito fogo
Dentro de sua grande alma anjo
Dentro de seu corpo gente
Dentro de mim

Dentro de sua boca riso
Dentro da cabeça sonho
Dentro de seu braço arco
Dentro de sua pele febre
Dentro de sua vida laço
Dentro de mim

Dentro em breve
Dentro em breve
Dentro de mim...

Dentro do cabelo pente
Dentro do tecido saia
Dentro do desejo beijo
Dentro do quarto crescente
Dentro do seu centro entro
Dentro de mim

Dentro do seu filho parto
Dentro da família ente
Dentro do umbigo rente
Dentro da pessoa sempre
Dentro da sua semente
Dentro de mim

Dentro em breve
Dentro em breve
Dentro de mim...

Dentro do possível hoje
Dentro do limite urgente
Dentro de onde você mora
Dentro do calor da hora
Dentro de você agora
Dentro de mim

Dentro em breve
Dentro em breve
Você precisa...
Você Precisa...


2010 - CHICO CÉSAR & SEU JORGE - "Dentro"


Faixa integrante do primeiro volume do EnTHulho Musical.
Download: AQUI!
EnTHulho Musical - letra, música e coração. http://www.enthulho.blogspot.com/




TH - Merchan do irmãozinho musical aqui no ETHos!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

ALI TH ERAÇÕES XXII



A porta da verdade estava aberta,
Mas só deixava passar
Meia pessoa de cada vez.
Assim não era possível atingir toda a verdade,
Porque a meia pessoa que entrava
Só trazia o perfil de meia verdade,
E a sua segunda metade
Voltava igualmente com meios perfis
E os meios perfis não coincidiam verdade…
Arrebentaram a porta.
Derrubaram a porta,
Chegaram ao lugar luminoso
Onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
Diferentes uma da outra.
Chegou-se a discutir qual
a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela
E carecia optar.
Cada um optou conforme
Seu capricho,
sua ilusão,
sua miopia.


Carlos Drummond de Andrade


TH - Pescado certeiramente do blog "Enfim, é o que tem para hoje" :)

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

LADIES AND GENTLEMEN, MS. JANE LYNCH!

A série da FOX, "Glee" (que estreou em 2009) não teria me chamado tanta atenção senão por três itens: música, Ryan Murphy e Jane Lynch.
Primeiro as críticas: a história é simples - e às vezes beira ao ridículo. O cotidiano de um coral que batalha pra ter espaço na escola, liderado por um ex-quase-integrante de boy band (Will Schuester), e constituído de representantes das minorias. Gay, negra, gorda, "emo", cadeirante, feia talentosa, burro talentoso, latina, loira burra, grávida e por aí vai. Nada tão novo ou impactante. Acredito que o sucesso do seriado se dá ao talento de seu realizador, Ryan Murphy, de criar vida roteirizada na porra-louquice. O ambiente é super leve, quase um desenho animado. E a música segura onda. Digo isso pois a seleção de repertório é bem equilibrada, com momentos de auge e de flopagem. Mas eu me identifico muito com o talento de Ryan com essa de "dizer' pela música. Ela tem essa capacidade e extorna bem todos os nossos sentimentos, quando bem conduzida às situações.
E Jane Lynch, claro. Inicialmente escalada pra coadjuvar - ela não seria mais do que uma simples treinadora de torcida organizada que detestava o coral, a moça roubou a cena de cara com sua Sue Sylvester, e garantiu os melhores momentos do seriado. De antipática, passou a vilã de desenho animado, que fazia de tudo pra acabar com o coral. E seu espaço foi gradativamente crescendo, a ponto de protagonizar dois momentos lendários: primeiro bancou a Madonna numa retomada do clip de Vogue, com letra da música devidamente mudada pra expressar seu ódio a Will; e também, noutro episódio, firmou uma parceria bem sintonizada com Olivia Newton John (a própria, convidada especial) onde estrelaram o videoclipe de "Physical", num versão beeeeem 2010!
Seja no timbre de voz, no jeitão masculinizado, nas máximas proferidas ("agora cheirem seus sovacos. Sintam o odor da derrota"), no seu diário (ela escreve as maiores blasfêmias "desabafando" no papel), ou no seu programa de tv ("é assim que Sue enxerga"), ela consegue dar uma leveza sem tamanho pra uma personagem que poderia se tornar o requinte mor de cureldade. Mas Sue é humana. E prova disso é a bela maneira com a qual cuida de sua irmã deficiente, com direito até a contar historinhas pra dormir. Personagem MUITO bem escrita, pruma atriz que conseguiu ler nas entrelinhas e só ganhou espaço.
Na vida real, Jane Lynch é atriz, escritora, cantora e comediante. É também homossexual assumida e casada com a psicóloga Lara Embry, cujo matrimônio se deu esse ano. Recentemente, tivemos a honra de prestigiá-la vencendo o Emmy de melhor atriz coadjuvante, por Glee. Muito merecidamente, aliás.
Vida longa pra Sue Sylvester, que ajuda e muito Glee a não se tornar um High School Music da vida.
E aguardemos a segunda temporada!


Grande vencedora do Emmy 2010. Abaixo, o vídeo de uma apresentação lendária na série





TH - Palmas para a "coadjuvante"

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

PARCEIRA XVI - Cyndi Lauper


Antes de qualquer coisa, o post de hoje vai para alguém muito especial, fã e identificável demais com nossa "moleca do pop". Aquela mesma que ditou moda na década de 80 dizendo que as garotas só queriam se divertir. Não poderia deixar de figurar dentre as parceiras de TH, aliás, é a mais Pop de todas elas!
Falar de Cyndi é muito fácil. Não requer grandes pesquisas biográficas ou estudo aprofundado sobre sua obra. Quem é fã pode até fazer tudo isso, mas quem aprecia, antes de tudo, boa música, só precisa senti-la. Ela é transparente. Genuína. Desinteressada das convenções da indústria POP e muito, muito simples!
Mas aquela simplicidade que marca e é especial!
Cyndi tem um brilho próprio único. Sua voz infantil não deixa que só se visualize sua porção criança, mas sua pluralidade de timbres faz com que consiga interpretar e cantar de forma bastante madura, o que lhe credita como uma das melhores artistas do show business ever. Esqueçamos todo anti-marketing ou sacanagens sofridas por gravadoras (que, num determinado período da década de 90, chegavam a mandar que ela gravasse determinadas coisas, o que, claro, foi bravamente resistido pela moça). A música de Cyndi é feita pra ouvir com o coração. E esse dificilmente se engana :)
Abaixo, uma das interpretações mais soberbas de Cyndi, feita para o clássico de Etta James. Aliás, a cantora acaba de lançar "Memphis Blues", álbum jazzístico de excelente qualidade e sonoridade pop. Eu sempre defendi que nossa garota poderia se aventurar livremente gravando um musical de classicões, acho que o resultado teria um saldo qualitativo enorme. Pense direitinho, dona Cyndi!
P.s.: Minha preferida de Cyndi, contudo, é a excepcional "I'm Gonna Be Strong", primeira faixa do album-coletânia "Twelve Deatly Cyns". Não consigo ouvir sem me emocionar com tanta profundidade numa interpretação, aliado a uma goela única no mundo da música :D





At last, my love has come along
My lonely days are over
And life is like a song
Oh, yeah, at last
The skies above are blue
My heart was wrapped up in clovers
The night I looked at you

2003 - CYNDI LAUPER - At Last


TH - No fim da plateia, alguém contém uma tímida última lágrima...

domingo, 29 de agosto de 2010

NÃO TEM TU, VAI TU


Sim, o voto é secreto e indisponível.
Sim, eu tinha prometido não fazer campanha favorável a ninguém (só contra).
Mas eu já me decidi quanto ao voto à presidência e resolvi abrir mão de meu direito ao sigilo pra externar minha candidata à Presidência da República.
Marina Silva passa longe de ser minha preferida - temo muito que o lado do fanatismo religioso impere ou suas visões mais "resguardadas" que a religião pode lhe abster seja crucial pra algumas decisões importantes e determinantes pro país, no entanto o voto aqui, mais do que consciente, vai pro contexto: é a que tem melhores propostas.
Não vou julgar que ela seja apenas boa de "goela" e que, caso eleita, não fará metade do que promete nos seus belos e trabalhados discursos. Mas mais por exclusão, vai mesmo ela. Não quero a continuidade de Dilma (laquê poderoso!) ou a soberba de Serra - ainda que este tenha experiência administrativa comprovada. Juntando os dois, tenho elementos incriminadores suficientes para me remeterem direto à terceira colocada nas pesquisa.
Marina sempre é rotulada pela excessiva preocupação com a causa ambiental - mas quem a critica só por isso merece sofrer todas as consequências que o desequilíbrio ecológico e a revolta da natureza causarão daqui a alguns anos. É pagar pra ver...
É, Marina...
Não tem tu
Vai tu
E salvemos o tatu! :)


TH - Descontem a sem graceza...é madrugada!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O DESCANSO DO GUERREIRO

Seu Manoel, agora brilhando em outros planos


Nesses últimos meses de 2010, Seu Manoel estava com dificuldade de se comunicar. Atingido por um mal que lhe impossibilitara a fala, tinha que se esforçar bastante pra poder expressar o que queria e o que estava sentindo. Não por acaso, foi a época em o nosso querido português mais ensinou!
Não o conhecia há tanto tempo. Tive os primeiros contatos em 2005, quando sua filha Vera e eu virávamos noites em nossos famosos 'luais" na praia da Jatiúca (sem violão, só comida, amigos e papo - por isso passamos a chamar de "conversais"). Logo cedinho, umas 5:30 da manhã, estava lá, próximo a nós, aquele senhor passeando devagarzinho, entendendo que a caminhada matinal era tão saudável para seu corpo e necessária para sua recuperação. E acenava pra nós, gentil, cordial e afável.
Quem via aquele frágil corpo que estampava um sorriso tão amigo e generoso pela primeira vez, não imaginaria nunca que dentro dali residia um guerreiro bravo e forte, que já tinha vencido um câncer e dava uma baita lição para todos que achavam que tinham "problemas'. Não, não tínhamos problema algum. Calávamos-nos diante de alguém que consegue ser tão poderoso com tanta simplicidade e força de vontade.
Ele, muitas vezes, poderia ter desistido. Quando a doença voltou, muitos abandonariam a batalha só para clamar aos céus o porque de um mal tão injusto ter retornado, mas se manteve firme e dedicado a enfrentar mais essa luta. E esta se fez mais árdua quando perde um de seus filhos, em 2008 e sua esposa, em 2009. Todos, meio que inconscientemente, achava que, na "fila' para brilhar no céu, o seu Manoel iria primeiro. Nunquinha...ele persistiu e nos presenteou com a melhor das lições de vida: a persistência. Enquanto tinha consciência que existia um propósito pra se manter vivo - que teria sentido continuar batalhando pra ficar um cadinho mais nesse universo, ele fez de tudo. Até contrariar vergonhosos funcionários do Hospital Geral do Estado de Alagoas, que, ao vê-lo nas macas esperando atendimento, balançavam a cabeça com sinal negativo: "ih, esse já morreu". Manoel, que adorava ser teimoso e fazer raiva pra irritar quem merecia, ainda fez esse feito. "Esse gostinho eles não vão ter. Não vou me entregar". E assim o fez. Seja por birra ou por qualquer outro motivo, dá gosto perceber que ele nunca se rendeu.
Só o fez quando chegou mesmo a hora. Nosso gentil e desbravado ídolo vinha guerreando faz tempo, e não há soldado que fique tanto tempo de pé por mais forte e resistente que chega. Tem mesmo aquele momento de não poder mais se apoiar no rifle pra ficar de pé. A cortina e os olhos se fecham e ele se encontra, agora, no momento de ir em frente. De partir, de continuar...
Pra onde? Só a fé de cada um poderá explicar. EU prefiro entender que sua missão nesse plano se concluiu, e com todos os méritos possíveis. O nosso guerreiro agora vai "ensinar em silêncio" em outros tantos lugares, mas deixando belos frutos de todo aprendizado que ofereceu, sobretudo a minha já citada amiga, que herdou o espírito de combate do pai e consegue mostrar, a cada atitude, que a lição foi aprendida e que é seu destino continuar distribuindo pros amigos e familiares um pouco desta aura poderosa.
Eu sou um dos contemplados...com certeza!
Por isso, pra sempre, com muito orgulho, agradecerei


MUITO OBRIGADO, SEU MANOEL!


TH

domingo, 22 de agosto de 2010

TH NEWS FLASHES XXVIII - Musicando emoções



Mês passado, nessa seção, falei de uma grande paixão, que é escrever. Esse mês, escrevo sobre o que talvez seja o maior de todos os meus casos de amor: a minha relação com a música.
É até comum encontrar pessoas que se dizem musicais, entendedoras do tema, que sabem trocentas bandas, decoram vocalistas, vidas de artistas, etc. Mas será que todos conseguem sentir?
Música boa é a que toca nossa alma. É a melhor das definições possíveis. Independente de estilos, de rótulos ou invólucros, o que realmente importa é a sensação que ela consegue despertar em nós. Quem se emociona com um sertanejinho bem arrojado, ou um forró estilizado tão típico do nordeste, com o axé baiano ou com o rock classicão não precisa fundamentar o sentimento. A música tem essa capacidade: aguçar nossos sensoriais. Fazer-se presente não apenas na audição, mas tomando conta de todos os sentidos humanos.
Música boa é aquela que te dá prazer. Aquele prazer quase orgásmico, orgânico e transcendental. Eu gozo ouvindo melodias perfeitas. Excito-me quando os arranjos sonoros se encaixam perfeitamente com a poesia, numa harmonia doce e quase sexual.
Música boa desperta emoções. Faz rir, faz dar gritos de alegria, chorar, sentir revolta, despertar nossos instintos e nos embalar de acordo com seus acordes. A ideia é de que a trilha sonora é quem nos segue, nunca o contrário. As pessoas mais "musicais" devem entender que não são assim por escolherem - é como um dom divino, parecidíssimo como os que os poetas tem, esse da música lhes procurar nos momentos mais propícios e indicados pelo coração.
Música boa é pra sempre! Atemporais. Não há - pros de coração musical puro, necessidade alguma de datar quando tal música foi criada ou quando fez sucesso (eu faço isso, confesso, mas por hobby, não necessidade...rs). Música boa não tem tempo nem ano. Só pros que só gostam de "modismos" rasos e descartáveis - esses não tem nem capacidade de sentir o que a música pode proporcionar, pois o prazer se faz momentâneo e substituível tão logo por outro sucesso rasteiro.
Música é amor. Duvidam? Experimentem associá-los. Quando se ama e se tem música por perto, as coisas ficam mais deliciosas e o casal de imediato elege a "trilha sonora do namoro". Não é por acaso que tantas novelas e filmes fizeram mais sucesso devido a trilha sonora do que pelo enredo propriamente. Às vezes, acreditem, os temas dos personagens condicionam-lhe os rumos nas tramas!
Eu nunca poderei me dissociar da música. Desde pequeno, sempre estive às voltas com os discos do meu avô, olhando contra-capas, lendo as letras da música, ou escutava "de butuca' as radiolas da minha irmã e da minha tia. passava hooooooras ouvindo rádio com as empregadas, prestava atenção nas músicas das novelas, esperava que lançassem a propaganda das trilhas sonoras pra eu saber quem estaria, adorava ver participações especiais dos cantores em programas infantis que assistia...e eu nunca deixei dessa "verve". Lembro com emoção do primeiro micro system que ganhei, aos 11 anos, e que foi protagonistas de inúmeras tardes de solidão minha, junto a meus lps, fitas cassetes, cds (Cranberries, "Ode To My Family", o primeirão). Como podem ver, afastar-me disso seria uma morte.
Tudo que eu faço envolvo música. Sempre que escrevo uma história, já penso na trilha sonora. Quando faço um blog, mesmo sem querer, acabo deixando a parte musical falar bem mais alto. Tanto que hoje tomo conta de um blog só de música. Não tem jeito mesmo (risos).
Enfim...já existe, nos confins do mar que é a internet, soltas, frases diversas sobre o conceito e música e qual sua importância para o mundo, mas eu encerro isso aqui com uma de minhas preferidas, proferida por ninguém menos do que um dos seres mais musicais que já vi na vida.
Muita música a todos! :)


"Se a música tem mesmo alguma função, é a de sublinhar a vida da gente"


Zélia Duncan


TH - Perfect!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

POR UMA VIDA MAIS BRILHANTE!



We made our connection
A full on chemical reaction
Brought by dark divine intervention
Yeah, you are a shining light
A constellation once seen
Over Royal David’s city
An epiphany you burn so pretty
Yeah, you are a shining light...

2009 - ANNIE LENNOX - Shining Light!



TH - Brilhemos todos, pois!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

GRÁVIDA!

Alanis e o marido, o rapper Mario Treadway

Alanis está grávida. "Que besteira...tantas cantoras engravidam", podem pensar, mas receber essa notícia, pra mim é como saber que vem um sobrinho chegando, pois Ms. Morissette sempre me foi uma irmã mais velha e aconselhadora.

A julgar tantas outras parceiras minhas que enriqueceram seus trabalhos como compositoras após a maternidade, acredito que dona Alanis nos trará obras mais magníficas após o nascimento de seu rebento. Eu nem me importo com seus grandes hiatos - ela nunca foi artista linear mesmo e sempre demorou horrores pra lançar novos trabalhos, mas essa potencialidade concentrada tende a trazer gratas surpresas quando "explodir", em seu momento.

No mais, muita luz à minha mana canadense. Os últimos anos foram bem difíceis - testemunhou fracassos em discos, rescindiu seu contrato com a gravadora de Madonna, Maverick, que a lançou ao mundo; viu seu relacionamento com o então homem de sua vida - Ryan Reynolds, ruir por ele trocá-la por Scarlet Johanson em 2007 (a cantora era noiva dele desde 2002), teve seu momento de "distúrbio alimentar", fazendo-a engordar bastante, mas sinto que bons ventos à roqueira de outrora estão por vir, com seu atual marido Mario Treadway e seu filhinho que já chega.

Torço com a mesma fervoridade com que faço pra minha irmã real!;)

TH - Todas as minhas parceiras tem minha benção ;)

sábado, 14 de agosto de 2010

ALI TH ERAÇÕES XXI



"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."


Fernando Pessoa



TH - Deliciosamente emprestado de um bloguinho especial ;)

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

RAPIDINHAS DA VIDA

Do jeito que a coisa tá, esse será meu escritorio!



- Sim, hoje é dia do Advogado. Também do estudante. Sou duplamente homenageado. Então, porque raios tenho que ir trabalhar?!?!

- Ser advogado me possibilitou muitas coisas boas: aprendi a ser dinâmico, a raciocinar diante de um problema, a ter postura, ler e escrever melhor e treinar minha oratória. Por mais que não goste da área que escolh, não posso cerrar os olhos para o mundo que me abriu. Saudações a esses odiados, porém inteligentes profissionais jurídicos!

- E estudante sou a todo tempo! Nunca é tarde pra aprender e espero chegar aos 100 anos tendo muito a ser ensinado.

- Não deixem de conferir minha participação no excelente Blog "Eu Prefiro Melão", do queridão Vitor Oliveira, onde falo sobre "Baila Comigo", novela de Manoel Carlos de 1981. No http://www.euprefiromelao.blogspot.com/

- Ainda em termos de participação em blogues, ressalto minha contribuição aos adoráveis "Culture Rangers", defensores da boa cultura (http://www.culturerangers.blogspot.com/), minha colaboração cada vez mais constante ao melhor site de resgate de memória afetiva, o Alfarrábio do Meu Coração, do MCI (http://www.alfarrabiodomeucoracao.blogspot.com/) e, em breve, um textinho meu pro ótimo blog televisivo "Memória da TV", de Guilherme Staush. Incansável, nesse ano :)

- O EnTHulho (http://www.enthulho.blogspot.com/) ficou em segundo lugar na categoria "entretenimento" do concurso de blogues da comunidade "Eu tenho um blog", do Orkut. Batemos na porta, mas o reconhecimento é certo. O blog tá lindo, atualizado e cheio de textos novos e diferenciados. Em breve terá um novo lay out e um arsenal de novidades sobre música brasileira. ;)

- Falando em reconhecimento, o polêmico post do ETHos sobre "Madonna" causou um furor na comunidade da cantora. Muita gente me xingou, mas, inacreditavelmente, muita gente ficou do meu lado. Isso muda bastante meu conceito sobre fãs da "Material Girl": muitos não são cegos e são extremamente inteligentes e apurados, como a cantora. por mais que não goste ou seja fã, inteligente a moça é. E muito!

- Ainda sobre o referido post, um inusitado convite. Não sei se se concretizará, mas já me deixou bastante contente. Assim são as coisas em minha vida: acontecem da forma mais contrária e irônica possível.

Então é isso! Um monte de novidades que estão fazendo 2010 ser mesmo um ano 10, como havia previsto no finalzinho de 2009. E vem muito mais coisa por aí - O ETHos sempre acompanhará as progressões de minha vidinha e agradeço bastante a audiência de vocês!


TH - Té mais!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

MAIS UMA CAMPANHA ANTI-COLLORIDO




BREVE LEMBRANÇA DOS TEMPOS DE COLLOR


Plano Collor - No dia seguinte ao da posse, ocorrida em 15 de março de 1990, o Presidente lançou seu programa de estabilização, o Plano Collor, baseado em um gigantesco e inédito confisco monetário, congelamento temporário de preços e salários e reformulação dos índices de correção monetária. Em seguida, tomou medidas duras de enxugamento da máquina estatal, como a demissão em massa de funcionários públicos e a extinção de autarquias, fundações e empresas públicas. Ao mesmo tempo, anunciou providências para abrir a economia nacional à competição externa, facilitando a entrada de mercadorias e capitais estrangeiros no país.
Os planos de modernização econômica e de reforma adminsitrativa são bem recebidos, em geral. As elites políticas e empresariais apoiaram a desregulamentação da economia e a redução da intervenção estatal no setor.

Corrupção - Mas, já em 1991, as dificuldades encontradas pelo plano de estabilização, que não acabou com a inflação e aumentou a recessão, começaram a minar o governo. Circulam suspeitas de envolvimento de ministros e altos funcionários em uma grande rede de corrupção. Até a primeira-dama, Rosane Collor, dirirgente da LBA, foi acusada de malversação do dinheiro público e de favorecimento ilícito a seus familiares.
As suspeitas transformaram-se em denúncias graças a uma intensa campanha da imprensa. Em 25 de abril de 1992, Pedro Collor, irmão do Presidente, deu uma explosiva entrevista à revista "Veja". Nela, falou sobre o "esquema PC" de tráfico de influência e de irregularidades financeiras organizadas pelo empresário Paulo César Farias, amigo de Collor e caixa de sua campanha eleitoral. A reportagem teve enorme repercussão e a partir daí surgiram novas revelações sobre irregularidades no governo. Em 26 de maio, o Congresso Nacional instalou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de irregularidades. Logo depois, a revista "ISTOÉ" publicou uma entrevista de Eriberto França, motorista da secretária de Collor, Ana Acioli. Ele confirmou que as empresas de PC faziam depósitos com regularidade nas contas fantasmas movimentadas pela secretária. Essas informações atingiram diretamente o Presidente.

Impeachment - Surgiram manifestações populares em todo o país. Os estudantes organizaram diversas passeatas pedindo o Impeachment do Presidente. Depois de um penoso processo de apuração e confirmação das acusações e da mobilização de amplos setores da sociedade por todo o país, o Congresso Nacional, pressionado pela população, votou o impeachment (impedimento) presidencial. Primeiramente, o processo foi apreciado na Câmara dos Deputados, em 29 de setembro de 1992, e, depois, no Senado Federal, em 29 de dezembro de 1992. O Parlamento decidiu afastar Collor do cargo de Presidente da República e seus direitos políticos são cassados por oito anos. Foi também denunciado pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de formação de quadrilha e de corrupção.

Agora me respondam, é este o governador que queremos para governar nosso Estado? Pense nisso e não cometam tamanho erro.
Adoraria que a novela "O Marajá" tivesse ido ao ar. E passasse AGORA!
Não gosto de fazer propaganda a favor dos candidatos que eu quero, mas topo fazer de tudo pra me manifestar contra os que não quero.


TH - Fora desgraça!

domingo, 8 de agosto de 2010

FELIZ DIA DELES!


Pro meu, pro teu, pros de todos.
Felicidades a nossos genitores, sempre!

Post comemorativo no http://www.enthulho.blogspot.com/

TH - :)

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

MADONNALESS



Antes de qualquer coisa, deixa eu me apresentar. Meu nome é Thiago Henrick (TH) e, a partir de agora, vou estar presente, com muito prazer, aqui no Portal Estilo Madonna. Minha missão será trazer conhecimentos de cultura pop e, claro, falar de Madonna, que é a expoente-mor do estilo musical no mundo, atravessando décadas sem deixar o brilho e a idade lhe desfocarem o auge.
Convém, prum início de conversa franco e descontraído, relatar como cheguei até aqui. Ironicamente, estreei no Estilo Madonna por... ter falado mal de Madonna! Agora em 2010, num blog meu, fiz uma severa análise a respeito de fãs descoordenados e cegos da moça. Acabou que uma simples crítica verteu-se num desabafo pessoal pela maneira com qual a americana (a mais inglesa que eu conheço!) vem conduzindo sua carreira, priorizando marketings e excesso de exposição desnecessária na mídia, nos últimos anos. Não foi uma boa ideia, pois recebi ataques furiosos de alguns fiéis e revoltados seguidores. Mexi mesmo num vespeiro! Só que houve dois saldos positivos em meio à confusão: minha estreia aqui e ter um conceito muito melhor sobre os fãs da cantora. Digo isso, pois conheci, felizmente, gente que ama a diva e que enxergou veracidade nos parágrafos do meu relato, sabendo concordar com eles e conseguindo – com muita diplomacia - me fazer ver em quais pontos eu estava exagerando ou generalizando. E é exatamente sobre esse tema que resolvi focar no texto de abertura: QUE TIPO DE FÃ DE MADONNA É VOCÊ?
Existem os fanáticos. Aqueles que não admitem fracassos ou a existência de opiniões discordantes (princípio básico de qualquer conversa civilizada). Podem até enxergar os defeitos da musa, no entanto já se predispõem a alardear os louros de sua carreira, numa espécie de “compensação”, a fim de comprovar, reiteradamente, o quanto Madonna é uma sumidade e pronto. Há ainda os fanáticos-cegos, que, acreditem, são bem piores e fazem valer mesmo o ditado já tão manjado: “o pior cego é aquele que não quer ver”. E cego não apenas de não visualizar defeitos, mas de se atrapalharem até na hora de ressaltar suas melhores qualidades. Dia desses, topei com um que disse que “Time Stood Still” é uma música muito “parada”... e que eu devia ouvir uns remixes super legais de American Life, Hung Up e Celebration, pra ver como Madonna faz música boa (...)
Existem os idiotas. Não há melhor classificação para estes, pois a pobreza dos argumentos beira ao fascismo e, além de não acatarem opiniões não lisonjeiras de seu ídolo, ainda copiam-na em tudo. Acham que o ato de esnobar é uma arte e inventam até um estilo blasé de se comunicar, achando o máximo serem iguais à diva. Zero para a falta de personalidade e bom senso.
Enfim, os lúcidos, que, depois do meu polêmico texto, acredito serem a maioria. Aqueles que reconhecem seus defeitos, que entendem que a moça não tem uma mera função contemplativa ou “material girl”, e sua importância deve ser relacionada, antes de tudo, por todas as barreiras que quebrou, pela posição alcançada na música pop feminina mundial, por ter dado o tapa certeiro na cara da Igreja Católica num momento adequado. Enfim, os fãs para os quais eu terei o maior prazer de, a partir de hoje, trocar ideias e experiências com a coluna.
Eu sempre bati na tecla de que fã de Madonna deve pensar. E que a moça tem capacidade de lançar trabalhos primorosos, sempre com intenções explícitas ou subliminares inseridas de alguma forma, nos seus vídeos, álbuns e shows. Trabalhos com alma me encantam. Quem lança um álbum equilibrado como Ray Of Light, onde a faceta intimista da cantora é perfeitamente harmonizada com a festa que todo o disco proporciona, além de ter letras muito bem dispostas num jogo legal de aspereza e profundidade, é alguém que merece respeito e credibilidade. Minha grande desavença é direcionada àqueles que não assimilam seus pontos baixos e menos “de auge”. Aos que só se interessam com status e posição alçada nas paradas.
No deserto de justificativas, fãs menos carimbados alegam “mais respeito”. Respeito? Como assim? Se Madonna respeitasse padrões da música Pop, ela jamais teria peitado a igreja como fez, ou criado um álbum tão conceitual e polêmico como Erotica. Se a própria nunca se justifica, porque não deixar que comentam suas peripécias na mídia, sem precisar fundamentar seus atos, às vezes de maneiras tão rasas
Então... Pensem, seguidores da musa. Tenham personalidade. Entendam que todo mundo já cometeu deslizes ou fugiu das convenções – quem sabe são essas pequenas transgressões que ajudam Madonna a dar sentido a seu tão significante papel para a música Pop
? E debatam sempre com propriedade e argumentos seguros. Mostrem que são capazes. Felizmente, eu já constatei que são 




TH - Madonna, quando você quer fazer, você faz!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

VÁ COLLORIR OUTRO PARDIEIRO



CAMPANHA DE VACINAÇÃO ANTI-COLLOR

2 GOTINHAS DE SABEDORIA CONTRA 4 ANOS DE PARALISIA SOCIAL.

SINTOMAS DA COLLORMIELITE:

*CEGUEIRA SOCIAL
*IRRESPONSABILIDADE COM O FUTURO
*TOTAL ESQUECIMENTO DO PASSADO

VOCÊ, ALAGOANO INTELIGENTE, ADIRA ESSA MANIFESTAÇÃO E SALVE NOSSO ESTADO.



TH - Votar em Collor enfraquece a amizade, já vou logo avisando!

terça-feira, 27 de julho de 2010

ALI TH ERAÇÕES XX


Sinceridade agora é tudo simples assim
Com você que é o único cúmplice
Dessa história mágica
Sinceridade: um elemento imprescindível
Pra uma relação estável
Isso nos remete a eternidade

Agora é uma relação de verdade, mas partimos do zero
No início havia pouca razão, no momento da paixão
Fazer e refazer o amor, por horas, por horas, por horas
Ter poucas coisas pra dizerermos, medo de nos arrepandermos por vezes
E eu com as minhas variações de humor
E você com as noticias de costume
Nos deixar a casa duas semanas
Mentiras pra não me fazer sofrer, mas às vezes era melhor morrer

Agora parecemos dois amigos, agora nós somos felizes
Se brigamos isso é normal, mas depois sempre se faz amor
Falando de tudo e de todos, fazemos dois mil projetos
Você às vezes volta criança, te aperto e te tenho por perto...


GIUSEPPE ANASTASI, "Sinceritá"


TH - Nem tão perto quanto queria... :´(

sexta-feira, 23 de julho de 2010

ACHO É TOME!


Stallone falou mal do Brasil? Chupa essa país. Aprende a valorizar produtos e medalhas nacionais e não apenas idolatrar o que vem de fora.
Ironicamente, vi essa notícia no mesmo dia em que constatei qual a frase do ano

“No Futebol, o Brasil ficou entre os 8 melhores do mundo e todos estão tristes. Na Educação é o 85º e ninguém reclama”.

Não, não sou xenófobo. É com pesar e grande lamento que constato a hipocrisia brasileira.


TH - :(

quinta-feira, 22 de julho de 2010

TH NEWS FLASHES XXVII - A arte de (d)escrever(-se)


A paixão vem desde pequeno.
Preferia pegar um papel para rabiscar minhas primeiras letrinhas, brincar com palavras, escrevê-las de trás pra frente, ver como ficavam se faltasse determinada letra.
Desenhava também, mas contar histórias era muito mais gostoso. E externá-las numa folha trazia um prazer indescritível!
Ao lado de meu primo, formávamos uma bela parceria. Eu esboçava o script e ele fazia os desenhos em forma de HQs, mas num dado momento invertemos. O desenho ficava a meu cargo mas eu sempre dava um jeito de mudar o roteiro dele! rs
Ser um ótimo leitor desde pequeno também me ajudou muito. Hoje em dia sou mais de música que livros, mas só em nunca ter deixado de ler na minha vida já foi válido um bocado!
Então vieram os primeiros reconhecimentos. Prêmio na 4ª série de literatura mirim por "História da minha vida', singela descrição do meu cotidiano que, por algum momento, despertou atenção da professora de Redação e, a seguir, da de Português. Anos depois, na 8ª, aventurei-me a tentar participar de um concurso de contos pré-adolescentes, e concorri com uma produção literária cujo nome me foge, mas falava sobre uma garota e seus dilemas de adolescência. Lembro que metade da açao do livro se passava no diário dela, outra nos "fatos da vida real" e mesmo sem ter base alguma no assunto, conseguia colocar temas como "drogas" no livrinho, bancando o sabido! rsss.
Na época em que ousava, era mais reconhecido. O tal livro também venceu o prêmio e me fez decidir fazer a faculdade de Jornalismo quando prestei vestibular pela primeira vez. Na escola, Redação, Literatura e Gramática sempre foram mais matérias prediletas e as que sempre me dei melhor.
Nessa época mesmo comecei a fazer meus "roteiros de gaveta"; Aquelas histórias tão minhas que não tinha coragem de contar pra ninguém. Rabiscos tão meus que ficaria rubro se alguém tivesse acesso. Pura insegurança Percebo hoje, ao relê-los, que hpa muita riqueza e material de qualidade ali que, dando a devida "lapidada", funcionaria. Nossos textos, assim como nós mesmos, amadurecem e podem ser renovados.
Então veio o primeiro ano de Jornalismo e o encanto empolgado de outrora deu lugar a um pensamento menos sonhador e mais realista. Um jovem de 17 anos tinha por obrigação pensar no seu futuro, e ser jornalista numa cidade corporativista como essa não daria certo.
Parti pro mundo jurídico e isso se refletiu na minha escrita também
De tão craque que era com as regras gramaticais mais severas, passei a dar prioridade à linguagem rebuscada e verborrágica, com vazão à escrita culta repleta de citações em latim e termos incompreensíveis para o grande público, que são artifícios para "deslumbrar" outros profissionais do Direito.
Afaste-me da pretensão de me tornar um escritor/jornalista/roteirista de outrora, de priorizar a qualidade do texto e a eficácia com a qual ele deve transmitir a mensagem ao público. Mascarei tudo isso com a falsa sapiência jurídica e isso me prejudicou no âmago.
Nada me satisfazia. Nada até perceber que o que interessa, nessa vida, é fazer aquilo que a gente ama. É ter foco, é saber arcar com conseqüências de uma má escolha e correr atrás.
A escrita é usada para abraçar seus leitores. Uso dessas linhas de hoje pra me abraçar e me puxar de volta pro que eu deveria mesmo fazer...
Então toca "me salvar". Ver o que eu tenho. Selecionar possíveis parcerias (Eldes, eu te devo muito) e os maiores incentivadores (Ale e Dan, são vocês!). Uma equipe do bem, que me deixa à vontade pra voar.
Decidi isso no momento que considero oportuno: agora. Pensando e repensando no que eu quero e posso. Correndo atrás de aprimorar e lapidar meu talento para a escrita (sei que nesse mesmo texto já tenho inúmeros erros de gramática, mas a hora de errar é mesmo agora) e resgatar um sonho perdido.
Sonhos envelhecem. Mas também são salvos a tempo.
Nada pode parar o promissor e guerreiro TH. =D


TH - Vamo que vamo!