quinta-feira, 5 de agosto de 2010

MADONNALESS



Antes de qualquer coisa, deixa eu me apresentar. Meu nome é Thiago Henrick (TH) e, a partir de agora, vou estar presente, com muito prazer, aqui no Portal Estilo Madonna. Minha missão será trazer conhecimentos de cultura pop e, claro, falar de Madonna, que é a expoente-mor do estilo musical no mundo, atravessando décadas sem deixar o brilho e a idade lhe desfocarem o auge.
Convém, prum início de conversa franco e descontraído, relatar como cheguei até aqui. Ironicamente, estreei no Estilo Madonna por... ter falado mal de Madonna! Agora em 2010, num blog meu, fiz uma severa análise a respeito de fãs descoordenados e cegos da moça. Acabou que uma simples crítica verteu-se num desabafo pessoal pela maneira com qual a americana (a mais inglesa que eu conheço!) vem conduzindo sua carreira, priorizando marketings e excesso de exposição desnecessária na mídia, nos últimos anos. Não foi uma boa ideia, pois recebi ataques furiosos de alguns fiéis e revoltados seguidores. Mexi mesmo num vespeiro! Só que houve dois saldos positivos em meio à confusão: minha estreia aqui e ter um conceito muito melhor sobre os fãs da cantora. Digo isso, pois conheci, felizmente, gente que ama a diva e que enxergou veracidade nos parágrafos do meu relato, sabendo concordar com eles e conseguindo – com muita diplomacia - me fazer ver em quais pontos eu estava exagerando ou generalizando. E é exatamente sobre esse tema que resolvi focar no texto de abertura: QUE TIPO DE FÃ DE MADONNA É VOCÊ?
Existem os fanáticos. Aqueles que não admitem fracassos ou a existência de opiniões discordantes (princípio básico de qualquer conversa civilizada). Podem até enxergar os defeitos da musa, no entanto já se predispõem a alardear os louros de sua carreira, numa espécie de “compensação”, a fim de comprovar, reiteradamente, o quanto Madonna é uma sumidade e pronto. Há ainda os fanáticos-cegos, que, acreditem, são bem piores e fazem valer mesmo o ditado já tão manjado: “o pior cego é aquele que não quer ver”. E cego não apenas de não visualizar defeitos, mas de se atrapalharem até na hora de ressaltar suas melhores qualidades. Dia desses, topei com um que disse que “Time Stood Still” é uma música muito “parada”... e que eu devia ouvir uns remixes super legais de American Life, Hung Up e Celebration, pra ver como Madonna faz música boa (...)
Existem os idiotas. Não há melhor classificação para estes, pois a pobreza dos argumentos beira ao fascismo e, além de não acatarem opiniões não lisonjeiras de seu ídolo, ainda copiam-na em tudo. Acham que o ato de esnobar é uma arte e inventam até um estilo blasé de se comunicar, achando o máximo serem iguais à diva. Zero para a falta de personalidade e bom senso.
Enfim, os lúcidos, que, depois do meu polêmico texto, acredito serem a maioria. Aqueles que reconhecem seus defeitos, que entendem que a moça não tem uma mera função contemplativa ou “material girl”, e sua importância deve ser relacionada, antes de tudo, por todas as barreiras que quebrou, pela posição alcançada na música pop feminina mundial, por ter dado o tapa certeiro na cara da Igreja Católica num momento adequado. Enfim, os fãs para os quais eu terei o maior prazer de, a partir de hoje, trocar ideias e experiências com a coluna.
Eu sempre bati na tecla de que fã de Madonna deve pensar. E que a moça tem capacidade de lançar trabalhos primorosos, sempre com intenções explícitas ou subliminares inseridas de alguma forma, nos seus vídeos, álbuns e shows. Trabalhos com alma me encantam. Quem lança um álbum equilibrado como Ray Of Light, onde a faceta intimista da cantora é perfeitamente harmonizada com a festa que todo o disco proporciona, além de ter letras muito bem dispostas num jogo legal de aspereza e profundidade, é alguém que merece respeito e credibilidade. Minha grande desavença é direcionada àqueles que não assimilam seus pontos baixos e menos “de auge”. Aos que só se interessam com status e posição alçada nas paradas.
No deserto de justificativas, fãs menos carimbados alegam “mais respeito”. Respeito? Como assim? Se Madonna respeitasse padrões da música Pop, ela jamais teria peitado a igreja como fez, ou criado um álbum tão conceitual e polêmico como Erotica. Se a própria nunca se justifica, porque não deixar que comentam suas peripécias na mídia, sem precisar fundamentar seus atos, às vezes de maneiras tão rasas
Então... Pensem, seguidores da musa. Tenham personalidade. Entendam que todo mundo já cometeu deslizes ou fugiu das convenções – quem sabe são essas pequenas transgressões que ajudam Madonna a dar sentido a seu tão significante papel para a música Pop
? E debatam sempre com propriedade e argumentos seguros. Mostrem que são capazes. Felizmente, eu já constatei que são 




TH - Madonna, quando você quer fazer, você faz!

17 comentários:

Arquimedes Diniz disse...

Confesso gostar das músicas dos idos anos 80 qdo Madonna se tornava uma mulher inteligente no modo como administrava as polêmicas. Só não acho justo borrar uma carreira pelo simples fato de não gostar das músicas. Se fora dos palcos ela deixa a desejar devido a certas manias de grandeza, exageros, e coisas obssessivas, é um fato a parte. Acredito que o grande mérito dela esteja em se utilizar de recursos na época pouco explorados para cataputar a carreira. Gosto dela não como um fã fervoroso, mas são músicas que me animam a dançar e qual o pecado em gostar de músicas dançantes? E para ser sincero Madonna só em dias que se quer levantar da cadeira e cair numa pista de dança...sem esburrachar no chão é claro. Até mesmo porque prefiro uma Roberta Sá, uma Elis Regina, uma Maria Rita, uma Rita Lee, uma Ana Carolina, uma Elza Soares, dizem mais que muitos artistas de fora, porque usam da nossa língua materna. E língua materna só se tem uma e diz muito mais ao coração.

MCI disse...

Gostei muito do texto. Você deu sua opinião e respeitou a dos demais. Também não amo Madonna, mas gosto, sim, de muita coisa dela. Tem seu valor dentro do universo em que se inseriu, mas é muito mais da ordem do "espetáculo" do que da técnica vocal, claro. Ninguém poderá negar isso. Lembro-me de uma entrevista de Cyndi à mídia italiana, na década de oitenta, em que o jornalista perguntava a ela sobre as comparações que lhe faziam com a então estreante Madonna, ao que ela, com uma ironia ímpar, respondeu: "Madonna?! Mas eu CANTO!" Rs.
Em suma: Madonna é a rainha do espetáculo, do eletrônico, da coreografia, dos shows feitos e pensados para encher os OLHOS.
Quem gosta de matéria para preencher os OUVIDOS e a ALMA, há de, invariavelmente, buscá-la em outras fontes! =)
Como diria a grande massa: "cada um no seu quadrado!" Rs.
Repito: adorei o texto!
Irretocável.

Serginho Tavares disse...

O que me chateia nem é a Madonna em si mas seus fãs insuportáveis! Ela mesma tá cagando e andando pra essa gente toda. Ela quer estar no topo como você mesmo diz. Sente essa necessidade de se auto-afirmar, coisa de leonino...
Adorei o texto querido, penso como você.

Abração

Marcia & Humberto disse...

Despeito, que feio. Cyndi fazia de tudo para tentar ficar na mídia nos idos 80's, porém não aguentou o tranco, recolheu os cacos, tentou mudar de imagem no início da década de 90 e sucumbiu diante de uma indústria que necessita de novidades, sempre. Voltou com um disco dance, das construções mais simplórias e vagas, em 2008 para ver se o público lhe dava o mínimo de atenção, não rolou.
Seu texto é um discurso de perdedor despeitado e rancoroso. Fora que você dá de bandeja vários motivos para respeitarmos Madonna como artista, muito mais do que todas as outras citadas ao final da redação.

Marcio Nicolau disse...

Adorei o blog. Conteúdo diverso, análise crítica..., muito bom.

Convite: visite-me no...

www.espacointertextual.blogspot.com

TH disse...

Sim, eu mexi num vespeiro...e as vespas começam a se manifestar :D
"Perdedor despeitado, rancoroso"... e fã de MÚSICA! não apenas de espetáculos eletrônicoreografados e robóticos...
Sobre a Cyndi...vem uma matéria quentinha por aí, afinal, ela figura (e com louvor) no meu Top 20 pessoal...
Gosto se discute sim...e espero q sempre com respeito nessas bandas, conforme demonstraram os nobres colegas dos comentários acima do seu...
;)

Marcia & Humberto disse...

Madonna tem apenas 5 discos entre os melhores de todos os tempos na lista da "Rolling Stone", tem 4 na da "Billboard", 3 no livro "1000 Discos Pra Ouvir Antes de Morrer". "Like a Prayer", "Ray Of Light" e "Music" entram em tudo quanto é lista dos melhores discos de todos os tempos. Entrou de prima no "Rock and Roll Hall of Fame" como uma das MUSICISTAS mais importantes da história com os votos de apoio de 87 dos 100 críticos votantes, coisa que nunca tivera ocorrido anteriormente. A turnê "Blond Ambition" é considerada uma das mais importantes já montadas por um artista na história.
Não foram os fãs que lhe deram esses prêmios e títulos. Negar tais coisas é despeito, rancor, mágoa e recalque, quando vistas além de um discurso anti-fãs como eu acabei de mostrar.

Ellen Ripley disse...

Midia opositiva? Opositora, correto?
Sinto muito mas o maior erro da postagem é justamente generalizar. Você já visitou uma das comunidades de Cyndi Lauper no Orkut? Elas mais se parecem comunidades anti-Madonna do que comunidades da Cyndi.
Madonna, avó? Cyndi é mais velha que Madonna.
Pq fãs de artistas que não conseguiram se manter na mídia sempre possuem argumentos contra aqueles que continuam vendendo bem, lotando shows, sendo premiados e ainda servindo de inspiração para novas gerações? Síndrome do Flop isso se chama, que é o nome que se dá, dentro do Orkut, para esses fãs -perdedores de artistas perdedores-. Passam a gritar que preferem um artista, este longe da mídia, por causa da bela qualidade musical, mas se esquecem que Madonna, por exemplo, tem trabalhos muito mais reconhecidos, musicalmente, do que o de seus ídolos. E então, como fica?

Ellen Ripley disse...

Aqui está uma lista com os maiores ícones musicais de todos os tempos feita pela CNN:

http://edition.cnn.com/2010/SHOWBIZ/Music/07/28/icon.music.vote/#fbid=AUolCI8LPKS&wom=false

Os críticos levaram em consideração a MÚSICA de cada um deles também.

Tem até Gilberto Gil.

TH disse...

Tá mais do que comprovada minha tese sobre fãs de Madonna.
LEVAM TUDO PRO LADO PESSOAL. Já querem determinar minha vida pessoal e analisar meu comportamento apenas por emitir uma opinião diferente, minha. Nunca tive problema com fãs de gente que nao gosto e critico, como os da Beyoncé, por exemplo, justamente pq eu sei elucidar os pontos positivos bem antes dos negativos, mas a grandeza da artista faz com que seus fãs também tenham mania de grandeza e, num texto como esse meu, não enxerguem que FALEI BEM da moça no que citei no início e só foquem na parte negativa. Reconheço a importância em suas conquistas com barreiras rompidas e quebras de tabus, mas não tô nem aí se ela vendeu 10 ou milhoes de cópias. Isso não delimita qualidade de artista algum e não posso ser considerado um looser só por admirar mais cantoras menos famosas ou ausentes da mídia. Não acho Madonna boa cantora, tampouco simpática ou acessível; ainda por cima polemiza como quem vai tomar água.
A "potência midiática" da moça e suas aparições rocambolescas em listas infindáveis sempre aparecem como argumentos de defesa, quando é justamente o que menos presto atenção numa artista.
Uma dica preciosa: atenham-se às críticas. Não se percam com tentativas de adentrar na vida pessoal de alguém, sejam inteligentes como a própria Madonna, que, honestamente, merece fãs mais inteligentes e que foquem em qualidades bem mais palatáveis do que listas, vendagens ou "soberania".

Ellen Ripley disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ellen Ripley disse...

Não vi ninguém falar de cópias de discos vendidos. Você se defendeu gratuitamente ou foi desatento.
Você disse que o que realmente importa é música e os dados mostrados dizem que Madonna não é boa somente nos shows, mas polêmicas, ela é boa também musicalmente falando e nem foi opinião de fãs, são dados de críticos e listas feitas por críticos. Faltou pesquisa da sua parte, que se segurou num clichê antigo.
Outro erro é quando dizem que Madonna não canta. Ora, mas quem é aquela mulher picando em notas altíssimas e sem desafinar no Oscar 1991? Quem é aquela mulher brincando com os graves no Arsenio Hall? E aquela que cantou "Ray Of Light" na nota original na Oprah? Vai me dizer que é um clone que canta de Madonna?
Como disse Paul McCartney: "Madonna sabe fazer tudo que nós fazemos e ainda tem o cérebro avantajado

Harvius disse...

Apesar de achar generalização algo desnecessário, é realmente inevitável.
Mas eu, particularmente, me sinto ofendido com seu texto. Sou fã de Madonna acima de todos os outros artistas e definitivamente não me enquadro nesse contexto.

Se a pessoa defende seu artista e afirma sua posição com arrogância, não tem a ver com o artista e sim com seu (ou falta de) caráter.

Reconheço que tem muito fã idiota de Madonna, que considera o ato de esnobar como uma arte. Mas da mesma maneira tem isso com fã de qualquer outro artista.
Particularmente, não defendo a pessoa Madonna. Nunca a conheci e nunca a conhecerei. E mesmo que isso acontecesse, não conheceria a verdadeira Madonna. Da mesma maneira que você não conheceria a verdadeira Cyndi Lauper e um monster não conheceria a verdadeira Gaga. É sempre bom fazer a distinção entre o artista e a pessoa. Para o artisto, admiro e desejo o melhor. Para a pessoa, respeitaria do mesmo jeito que trato alguém que não conheço.

Mas deixando generalizações, intimidades impossíveis e derivados de lá, vamos à artista Madonna:
Madonna é a melhor cantora? Não.
O foco dela nunca foi, não é e nunca será a parte vocal da música. Ela é uma artista visual, de ritmos e de performance. Tentar comparar a cantora Madonna com outras cantoras é a mesma coisa que tentar comparar uma performance da Mariah com uma da Britney: Não há nenhum eixo comum para se comparar, pois são coisas totalmente diferentes.

Não vou discutir muito sobre a inteligência da artista Madonna, porque você mesmo reconhece a beleza do Ray Of Light. Obviamente não para aí. Vide True Blue e Like Prayer, álbuns cheios de enigmas e com incríveis conceitos.
Olhe a adaptação feita na Confessions Tour, sintetizando em um espetáculo a trajetória da música pop.
E também tem os backdrops da Re-Invention Tour, dos quais The Beast Within é uma dos mais geniais que já vi.

Enfim... Teu texto tem coerência, mas também tem muitos estereótipos. Cuidado com isso e sucesso no resto :D

TH disse...

Harvious...
Vc realmente conseguiu mudar meu conceito sobre os fãs da moça. É exatamente de gente assim que ela precisa.
Enfocou com eficácia as qualidades, apontou falhas no meu texto, mas percebeu a intenção.
Obrigado!

Marcio Nicolau disse...

Grato pelo comentário e já te favoritei também.

Abração e até breve.

Inside Me disse...

pior q tu tem razão visse...

MADONNA disse...

Oi Thiago, tudo bem?

É possível me contatar no e-mail fabiofreire@estilomadonna.com.br?

Gostaria de conversar com vc.

Abs e desculpe usar o espaço para.

Fábio
www.estilomadonna.com.br