terça-feira, 16 de março de 2010

PARCEIRA XIV [Marie Fredriksson]



Depois de tantas outras parceiras, finalmente uma representante da música Pop. Ironia dizer que é justamente uma integrante do grupo que por muitos anos ficou conhecido como 'os reis do Pop": Roxette!

A sueca Marie Fredriksson empresta sua doce voz às interpretações das letras (maioria) de seu parceiro Per Gessle. Fora a banda, ela ainda tem uma consolidada carreira solo, com composições próprias e músicas muito melódicas, a maioria sublinhada por piano (um de seus instrumentos favoritos, que ela própria toca com perfeição).

Algo a se destacar na loira é a ótima combinação na hora de suas interpretações: ela sente o que a música pede - se for um pop bem poperô, ou algo retrô tipo anos 70, ou então as tão famosas baladas mamão com açucar - que tanto marcaram o Roxette, ela se infiltra no clima da musicalidade como pouco se viu, delira, chora, grita, cantarola, sorri...e o melhor de tudo: ainda nas baladas mais sensuais, ela não utiliza de vulgaridade pra se expressar - sua sensualidade é tão bem trabalhada que faz até a não tão atraente Marie se tornar interessante e sexualmente crível nos videoclipes. Numa época em que Beyoncés, Britneys e afins apelam pra posições onde se vê até seus úteros nas danças das músicas, o Roxette nunca precisou de nada disso pra reafirmar seu firme nome na música Pop.

Falando especificadamente da Marie, é bacana colocá-la como parceira pois minha identificação com sua voz desde o final da década de 80 existiu. Acho que Dressed For Success foi a primeira música do grupo que ouvi, e era uma voz de menininha bem firme. Conexão imediata...lembro que na época do tema de "Uma Linda Mulher", "It Must Have Been Love", muitos acharam que Roxette era o nome da Marie!! Daí então foram anos e mais anos de minha adolescência acompanhando com pontualidade o lançamento de cada álbum, até chegar no hit da minha vida, que foi o Wish I Could Fly, do famigerado disco Have a Nice Day de 1999. Nunca uma música combinou tão bem melodia, arranjos, voz e letra como essa, e já foi integrante daqui do blog em Fevereiro do ano passado.

É uma pena que a banda dá mostras de esgotamento e término, mas vou perseguir minha curiosidade de conhecer mais a fundo a carreira solo da Marie. Recordo-me que sofri demais quando soube que ela tinha um câncer na cabeça nessa década de 2000, mas com louvor venceu e está bem, firme e forte. Vitória das forças do bem! ;)





In a time
Where the sun descends alone
I ran a long, long way from home
To find a heart, that's made of stone
I will try, I just need a little time
To get your face right out of my mind
To see the world through different eyes...



1991 - ROXETTE - Fading Like a Flower


TH - Essa seria muito bem um tema de novela, não??

2 comentários:

RRJunior disse...

Tanto o Per qt a Marie são fantásticos... Independente do sucesso juntos, os dois mantem a carreira solo até hj, porém a Marie consegue mais da mídia do que o Per...

"The Change", "Bad Moon", "Sparvoga" e "April Snow" são ótimos exemplos da carreira solo dela... Mas nada se compara a ótima balada "Tro"...

marcelo serrão da silva disse...

ainda não era nem nascido quando roxette surgiu,mas ou as musicas como se tivesse vivido todos os momentos de minha vida enbalados ao som de roxette.curto todas as musica.............!