terça-feira, 8 de dezembro de 2009

AOS PORCOS




A cobra encurralou o vaga-lume na floresta e disse:
__Eu vou te matar!!! O Vaga-lume prontamente respondeu:
__Mas cascavel, o que foi que eu te fiz? Não te fiz nada...
E logo a cobra respondeu:
__Vc não precisa fazer nada. Seu brilho me incomoda.



Nesses dias andei pensando muito nas diferenças entre cíume e inveja.
Percebi que o ciúme é o mano mais natural da insegurança - o medo da perda ou da conquista da felicidade do outro em outras mãos, receio de que se tenha mais atenção ou admiração dispensados; enquanto a inveja é ardilosa, sórdida, vil e negativa. Ou seja, o combustível do ciumento, a priori, tem raízes mais brandas: não possuir segurança em si mesmo ou não conseguir ser amado sem reunir e cobrar todas as atenções para si estão longe de ser características 100% aceitáveis, no entanto são bem melhores do que o vazio relegado ao mundinho sub-humano dos invejosos.
O princípio do invejoso é justamente a falta de um conteúdo substancial em si mesmo. Ele é fruto de uma estima baixa, é filho de uma auto-imagem deformada, negativa. É a “corporificação” da presença da ausência. Não que muitos ciumentos não tenham baixa auto-estima, mas normalmente estes são movidos pela perda de algo substancial de suas vidas, enquanto pra se ter inveja, não é necessário nenhum pré-requisito especificado...
Muita gente costuma associar as características do ciumento às do invejoso, quando, apesar de terem algumas semelhanças, ambos são bastante dstintos. Por já visualizar a realidade do CENTRO DE APOIO ÀS VÍTIMAS DO CRIME (CavCrime), e já ter atuado em causas criminais que partiram de uma agressão - sabe-se que paixão e emoção são causas atenuantes de penas, nos mais diversos crimes contra a vida, eu percebi muito que, por mais excessivo que pareça, os ciumentos são pessoas extremamente humanas. Depois da novela "Mulheres Apaixonadas", do meu ídolo Manoel Carlos, quando Giulia Gam deu um show de interpretação com sua "Helouquisa", essa realidade passou a ser mais respeitada e compreendida. Quaisquer excessos - antes de ser taxados como distúrbios, são ocasionados, pasmem, por muito amor. Realidade completamente diferente dos invejosos...
A realização pessoal de uma alguém, a felicidade verdadeira de qualquer um - seja ele íntimo ou desconhecido, um relacionamento bem sucedido de pessoas de bem, com tudo a ver uma com a outra, recheado com amor e paixão, aos olhos deles faz tanto mal que as virtudes naturais de outrem explodem suas doenças internas mais íntimas. Suas carências e complexos aguçados geram atitudes cada vez mais pequenas, ínfimas.
Arrisco apostar: prefiro um ciumento que um invejoso!
Nunca, até então, tinha tido algum tipo de problema com inveja. Não sou um indivíduo que mereça ser invejado...sou normal, humano, tenho falhas, cometi erros no passado mas eu sempre busquei me aperfeiçoar com todo erro cometido. E amo e sou amado. São os únicos elementos talvez ensejadores de uma inveja cruel.
Uma profusão desses fatores se expandiu no comecinho de Dezembro, mas ainda bem: as coisas se resolveram e retomaram seus trajetos...e, diria: solidificaram mais ainda o que já era duro feito rocha, e verteram nas consequências mais positivas possíveis! ;)
E o que restou de tudo isso? Pérolas...para serem distribuídas com louvor aos porcos invejosos e trapaceiros (obrigado pelo empréstimo, Salve minha querida e arretada conterrânea Heloísa Helena!). Cuidado com aqueles que tentam minimizar seus atos, com maus-olhados, cobiças psicopáticas. Esse ciclo vicioso pode ser combatido com uma boa dose de desdém e ostracismo...afinal, como bem tirou explicitou meu querido Fernando Sabino : "o invejoso abre espaço pra sua própria infelicidade"


TH - Antídoto anti perversidade

Um comentário:

MCI disse...

E isso tudo posto, encerra-se definitivamente "um capítulo tosco" da sua história de vida.
O lado bom SEMPRE existe: o Tempo mostra quem são as pessoas e quais são aquelas que MERECEM ou NÃO algum espaço em nossas vidas.
Se merecem, muito que bem. Se não merecem e nos desejam o mal, que sejam "felizes" (se é que isso é possível!) com seu estilo de vida vazio, pequeno, asqueroso.
Ando farto de GENTE que fala de GENTE. Pessoas que se "ocupam" de julgar o próximo, envenená-lo ou odiá-lo sem motivo.
Meu negócio é GENTE que discute e que defende IDEIAS e IDEAIS. Gente com CONTEÚDO e muita ENERGIA POSITIVA pra oferecer!
No NOSSO MUNDO não tem espaço pra quem não seja 300% DO BEM!
É por isso que o sorrisão vai de orelha à orelha!
Porque o que está DENTRO reflete no EXTERIOR. Fica estampado no sorriso, nas palavras doces, no comportamento respeitoso, enfim, NO QUE SOMOS!
Acho que o melhor a fazer é "enterrar o morto", acender uma vela e "cantar e cantar e cantar, a beleza de ser um eterno aprendiz!"
Vamo que vamo, né?
LUZ pros seres da escuridão!