segunda-feira, 17 de agosto de 2009

SACRILÉGIO DIVINO E GUERRA BESTA


Quem acompanhou os noticiários, jornais e publicações da semana passada notou o que se pode chamar de jornalismo barato. E a principal protagonista desses lamentáveis "furos" foi a própria Rede Record.
Um breve retrospecto: explodiram uma infinidade de denúncias cheias contra a Igreja Universal, o bispo Edir Macedo e seus inúmeros fiéis. Eu confesso que fiquei chocado: gente que vendeu sua própria casa ou que arrecadou todas as economias, até o que não podia, porque eram orientadas por seus pastores de que "quanto maior seu dinheiro, maior sua fé". Uma fé cega, um sacrilégio divino e um aproveitamento safado do sentimento das pessoas, que colocam o sentimento que depositam em Deus à frente da própria sanidade e bom senso. E junto a pessoas que se aproveitam disso!
Então as emissoras têm trocado ataques desde quarta-feira, quando a Record resolveu responder às acusações do dia anterior, por ter considerado que a concorrente deu destaque excessivo ao fato da Justiça paulista ter acatado a denúncia por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Os acusados usariam as doações dos fiéis para benefício próprio.
Ou seja, com a explosão das denúncias, ao invés da emissora Record procurar se defender, desmentir, preferiu contra-atacar sua principal rival, Rede Globo, que, segundo notícias de seu jornalismo de quinta, todos os fatos argumentados partiram de um promotor que estava sendo investigado por supostamente favorecer a Globo. E taca agora se voltar contra os defeitos dos globais, que nunca foram santos, mas não deveriam vir à tona num momento como esse, por não ter a ver com a questão.
Bom. Não sou evangélico e se disser que não tenho nada contra, estaria mentindo. Todos são livres pra eleger suas religiões, construir suas crenças, no entando o que me obsta perante os evangélicos é o fato deles quererem "puxar" a pulso todos para debaixo de suas asas (ou pomba branca, símbolo da Universal). Sei que estou generalizando, nem todos agem dessa maneira, logo minha crítica é direcionada apenas ao que conheço e vivenciei, por ter tido muito contato com protestantes. E confesso que a explosão de denúncias contra Edir Macedo - do qual nunca fui afeito, veio ratificar tudo o que sentia pela Igreja Universal. Lamento que o Jornalismo - a profissão que sempre quis exercer tenha chegado a níveis tão rasos por conta dessa guerra besta de emissoras. E cabe ao telespectador agora escolher em quem crer...

P.s.: Em grupos de discussões no qual participo, uma grande questão veio à tona: seria o momento ideal para que a Globo reprisasse a GRANDE minissérie DecadÊncia, de Dias Gomes, exibida em 1995, com Edson Celulari encabeçando o elenco com seu Mariel, pastor evangélico que ludibriava os fiéis. Além da temática religiosa, oportunamente estamos vivendo um período de derrocata política em nosso país que também era mostrado na série. Dupla oportunidade de reexibição (ou pelo menos, de lançamento da minissérie em DVD).


TH - Botando lenha na fogueira!

2 comentários:

MIster Teles, o Musical disse...

Ame muito , meu querido amigo, felicidades!

MIster Teles, o Musical disse...

Cara achei sua ideia genial de reprisar a minisserie de Dias Gomes! Já diziam q a melhor defesa é o ataque, rs